X

Craniossinostose: cirurgia como principal tratamento

Condição que afeta até 0,1% das crianças, a craniossinostose é tratada com cirurgia na maior parte dos casos

novembro 2, 2019

Você sabe o que é a craniossinostose? É a fusão prematura e anormal, durante a gestação e nos primeiros meses de vida, de uma das seis articulações entre os ossos do crânio da criança, chamadas de linha de sutura. Na prática, ela resulta em um formato anormal da cabeça devido ao crescimento ósseo irregular.

Se a craniossinostose não for corrigida, ela pode ter consequências graves. Entre elas, o aumento da pressão intracraniana e assimetrias no rosto da criança. E a melhor opção para a correção é uma intervenção cirúrgica.

Como é o diagnóstico da craniossinostose

O diagnóstico da craniossinostose normalmente é feito clinicamente pelo pediatra. Como há alterações características no formato craniano, normalmente nenhum exame é necessário para tal constatação. A tomografia computadorizada normalmente é solicitada para confirmação do diagnóstico e planejamento cirúrgico.

Como algumas craniossinostoses são sindrômicas e familiares, é importante também que se faça uma história familiar detalhada.

As craniossinostoses podem ser divididas em quatro tipos: Sagital (mais comum), Metópica, Bicoronal, Unicoronal e Lambdóide. Cada uma delas tem características e consequências específicas se não tratadas. 

Essa condição afeta entre 0,04% e 0,1% das crianças nos Estados Unidos. E a condição prevalece em 3 a 5 crianças a cada 10 mil nascidos vivos. São mais comuns em meninos. Além de congênita, ela pode se desenvolver após a colocação de válvula para o tratamento da hidrocefalia.

O principal diagnóstico diferencial da craniossinostose é a assimetria posicional. Nestes casos, a postura viciada ao dormir aliada ao rápido crescimento do crânio do bebê nos primeiros meses de vida causa deformidade na cabeça do bebê. Nestes casos, não há necessidade de cirurgia e o tratamento deve ser feito com medidas de reposicionamento do bebê ao dormir ou órtese craniana (os famosos capacetinhos).

O que você sabe sobre neurocirurgia infantil? Faça o teste e descubra